sexta-feira, 26 de outubro de 2007

Lo dia internacional de hablarse portuñol

http://www.portunhol.art.br ;D

quarta-feira, 17 de outubro de 2007

[FanClip] Tempo Perdido - Legião Urbana

Faz tempo que falo disso para todo mundo, e creio nunca ter enviado para ninguém este esboço de roteiro. Dedico à todos que ouviram falar disso, mas que até hoje, nunca leram. Recomendo acompanhar a leitura ouvindo a música (e mantendo a imaginação bem ativa):

---------------------------------------------------------------

Todos os dias quando acordo, não tenho mais o tempo que passou
[Pálpebra de um olho feminino fechada Longos cílios que, repentinamente se erguem revelando um olho vermelho.]

Mas tenho muito tempo, temos todo o tempo do mundo
[Sol pondo-se em alta velocidade, pessoas e carros andando em altíssima velocidade.]

Todos os dias antes de dormir, lembro e esqueço como foi o dia
[A mulher aparece por completo, branca, de cabelos pretos, de camisola, aproximando-se de uma grande janela.]

Sempre em frente, não temos tempo a perder
[Close em seus lábios. Sua boca esboça um sorriso.]

Nosso suor sagrado, é bem mais belo que esse sangue amargo
[Corte seco e a mulher está vestida de preto, caminhando sozinha bem no meio de uma rua deserta, no meio da noite. Seu olhar parece assustado.]

E tão sério, e selvagem
[Ao fundo, atrás da mulher, no início da rua, um misterioso homem aparece entre a fumaça branca que sai de um bueiro.]

Veja o sol dessa manhã tão cinza: A tempestade que chega é da cor dos seus olhos castanhos
[A mulher esconde-se em um beco, o homem a persegue e a encontra de costas, agachada em uma parede. Close no olho do homem. O homem a toca no ombro.]

Então me abraça forte, e me diz mais uma vez
[A mulher vira repentinamente e o ataca na jugular.]

Que já estamos distantes de tudo: Temos nosso próprio tempo
[Corte seco para o homem, ainda vivo, deitado no colo da mulher que acaricia o cabelo da vítima e o balança como uma mãe faz para um bebê dormir. Detalhe: a boca da mulher e o pescoço do homem estão sujos de sangue.]

Não tenho medo do escuro, mas deixe as luzes acesas agora
[Corte. A mesma mulher andando entre anjos e os altos túmulos de um cemitério gótico. Apesar da noite, a mulher passeia como se estivesse no campo.]

O que foi escondido é o que se escondeu, e o que foi prometido, ninguém prometeu
[Entrando, cada vez mais fundo, no labirinto de túmulos, a mulher chega até um em especial. Empurra a tampa. Câmera subjetiva, como se alguém a observasse de dentro do túmulo sendo aberto.]

Nem foi tempo perdido; Somos tão jovens
[Corte para o conteúdo do túmulo: Rosas pretas. Não há cadáver.]

Tão jovens
[Uma mão masculina toca o ombro da mulher que se vira. É o homem. Ela sorri.]

Tão jovens
[Do alto, vemos os dois se abraçando como namorados que não se encontravam há tempos.]

(Continua somente os instrumentos)
[Andam, balançando as mãos dadas, pela rua do cemitério enquanto um travelling lento mostra a lua.]

---------------------------------------------------------------

Alguém interessado em ser meu sócio para gravar este fanclip?

---------------------------------------------------------------

quarta-feira, 10 de outubro de 2007

:: TOP5 (não definitivo) de viagens que quero fazer antes de morrer ::

1 - Pegar a Rota 66, em cima de uma Harley, depois de ter se chapado com os índios do deserto, e com Born To Be Wild tocando no talo ao fundo.
2 - Fazer uma "rota espiritual" pelo Tibet, e ir tomar alucinógenos com o Timothy Leary, para descobrir onde fica o céu de diamantes e marmelada que os Beatles conheceram nos anos 60.
3 - Ir no Jay and Silent Bob's Secret Stash, em Nova Jersey, bater um papo com o Kevin Smith.
4 - Pegar um ônibus em São Francisco, em uma noite chuvosa, usando jaqueta de couro e óculos escuros (a la Blues Brothers), e ficar recitando "San Francisco Nights", olhando para fora com os neons refletindo na janela.
5 - Tirar um som nos estúdios de Abbey Road.

-------------------------------------------------------

Post que veio lá do mundo do "Além da Imaginação". Como 93,7% dos posts deste blog.

quinta-feira, 4 de outubro de 2007

Crônica Crônica

Bateu o carro? O seu cachorro morreu? Sua namorada te trocou por um dançarino Russo? Sua vida está uma merda e você não sabe o que fazer?

Encha o saco de alguém. Reclame da vida para outra pessoa que não quer saber disso. Faça a noite de alguém uma droga por alguns minutos. Como?

Abre seu programa de comunicação instantânea preferido.

- Oi. (você diz)
- Oi. (a pessoa responde)
- Tudo bem? (você pergunta)
- Sim, e você? (é o que o outro diz. e você já jogou a isca neste momento)
- Não. (ele avistou a comida boiando na água)
- Pq? (hora de puxar COM FORÇA)
- Bati o carro. Meu cachorro morreu. Minha namorada te trocou por um dançarino Russo. Minha vida está uma merda. E eu não sei o que fazer. (isso foi um exemplo. pegue as piores coisas possíveis, e enrole ao máximo. quanto mais problemas melhor, o outro não vai conseguir escapar, e você vai se divertir com a isca cravada na bochecha do coitado)

Atenção crianças, não tentem isso em casa. Este texto foi apenas para aprendizado, enxer o saco dos outros quando você está irritado, não é coisa que se faça. Escute um som no escuro. Vá ao cinema. Fume um baseado. Vá beber com os amigos. Mas por favor, só venha falar comigo se eu for seu amigo. Meu único conselho para você que é surdo, cego, careta, toma remédio de tarja preta, ou não tem nenhum amigo, é o suicídio.

Sua vida não está uma merda? Acabe com ela, e seja feliz.

----------------------------------------------------------

Anos atrás fiz um texto com apologias ao suicídio. Evoluí hoje para este novo texto. Por constagem, acho que se matar não é nem perto a melhor solução para o problema que for, nem me importo de escutar os problemas do outros (principalmente de meus amigos).

Só estou tentando fazer alguma crônica decente de humor negro. Pena que não chego nem perto disso.

Para quem não gostou, pelo menos eu tentei. E você, já tentou escrever algo bacana hoje?