domingo, 16 de dezembro de 2007

NOVAS VERSÕES

Luis Fernando Veríssimo

Volta e meia relançam filmes com a inclusão de cenas cortadas ou não aproveitadas na primeira edição. O chamado "directors cut", ou montagem do diretor. Blade Runner, do Ridley Scott, e Apocalypse Now, do Coppola, são dois notórios exemplos recentes. Pode-se imaginar uma série de filmes famosos remontados com cenas que, por uma razão ou outra, ficaram de fora da versão original.

Casablanca, por exemplo, relançado com os 10 minutos cortados do fim, a cena do desastre com o avião, do qual só sobrevive a Ingrid Bergman. Ela fica com o Rick em Casablanca e a última cena é dela suada, com os cabelos em desalinho, mas feliz, dando ordens na cozinha do café.

Ben Hur, com meia hora a mais de metragem, justamente o segmento no qual o co-autor do roteiro Gore Vidal enfatiza o subtexto homossexual no relacionamento de Ben-Hur com o oficial romano, e que inclui uma famosa cena - cuja existência, muito comentada no meio cinematográfico, e pela qual o Charlton Heston disse que pagaria qualquer preço, nunca foi confirmada - do tango na sauna.

Uma nova versão de Cantando na Chuva, com uma longa seqüência de hospital que ficou no chão da sala de montagem na primeira edição. Nela, Gene Kelly, restabelecendo-se de uma pneumonia depois de dançar irresponsavelmente na chuva sem galochas, que atrapalhariam a coreografia, recebe Debbie Reynolds e Donald OConnor e os três saem a dançar por todo o hospital, inclusive interrompendo uma cirurgia, o que foi considerado de mau gosto.

Lawrence da Arábia, com quatro horas a mais, só podendo ser assistido na presença de médicos, para casos de insolação.

A nova Cleópatra, com sete horas de duração, incluindo a cena em que Elizabeth Taylor e Richard Burton ignoraram os gritos de "Corta!" do diretor, continuaram e tiveram que ser apartados com um balde de água fria.

Todos os filmes do Goddard remontados, desta vez com as cenas em seqüência lógica, com começo, meio e fim, nesta ordem, o que os torna ininteligíveis.

Todos os filmes do Hitchcock como o diretor pretendia que fossem, antes da interferência dos produtores: as cenas em que ele antes aparecia rapidamente com a duração que ele queria e em algumas ele, inclusive, abanando para a câmera.

E uma nova versão de A Noviça Rebelde com as cenas de flagelação dos filhos do barão, no porão do castelo, pelo barão e a noviça, ambos nus, e que não entraram na primeira versão porque mudariam todo o sentido da história - embora servissem para explicar a disciplina das crianças.


Zero Hora - 01/11/2007

quinta-feira, 22 de novembro de 2007

Eu tenho um sonho...

Imagine um mundo de paz. Imagine um mundo de amor. Imagine um mundo onde as pessoas não sabem o que é a violência. Imagine a gente chegando lá e descendo o braço em todo mundo. Pô, eles iam apanhar pra caramba!

segunda-feira, 12 de novembro de 2007

Trainspotting aka Satisfaction Now!

Mark "Rent-boy" Renton: [narrating] Choose Life. Choose a job. Choose a career. Choose a family. Choose a fucking big television, choose washing machines, cars, compact disc players and electrical tin openers. Choose good health, low cholesterol, and dental insurance. Choose fixed interest mortgage repayments. Choose a starter home. Choose your friends. Choose leisurewear and matching luggage. Choose a three-piece suite on hire purchase in a range of fucking fabrics. Choose DIY and wondering who the fuck you are on Sunday night. Choose sitting on that couch watching mind-numbing, spirit-crushing game shows, stuffing fucking junk food into your mouth. Choose rotting away at the end of it all, pissing your last in a miserable home, nothing more than an embarrassment to the selfish, fucked up brats you spawned to replace yourselves. Choose your future. Choose life... But why would I want to do a thing like that? I chose not to choose life. I chose somethin' else. And the reasons? There are no reasons. Who needs reasons when you've got heroin?

sexta-feira, 26 de outubro de 2007

Lo dia internacional de hablarse portuñol

http://www.portunhol.art.br ;D

quarta-feira, 17 de outubro de 2007

[FanClip] Tempo Perdido - Legião Urbana

Faz tempo que falo disso para todo mundo, e creio nunca ter enviado para ninguém este esboço de roteiro. Dedico à todos que ouviram falar disso, mas que até hoje, nunca leram. Recomendo acompanhar a leitura ouvindo a música (e mantendo a imaginação bem ativa):

---------------------------------------------------------------

Todos os dias quando acordo, não tenho mais o tempo que passou
[Pálpebra de um olho feminino fechada Longos cílios que, repentinamente se erguem revelando um olho vermelho.]

Mas tenho muito tempo, temos todo o tempo do mundo
[Sol pondo-se em alta velocidade, pessoas e carros andando em altíssima velocidade.]

Todos os dias antes de dormir, lembro e esqueço como foi o dia
[A mulher aparece por completo, branca, de cabelos pretos, de camisola, aproximando-se de uma grande janela.]

Sempre em frente, não temos tempo a perder
[Close em seus lábios. Sua boca esboça um sorriso.]

Nosso suor sagrado, é bem mais belo que esse sangue amargo
[Corte seco e a mulher está vestida de preto, caminhando sozinha bem no meio de uma rua deserta, no meio da noite. Seu olhar parece assustado.]

E tão sério, e selvagem
[Ao fundo, atrás da mulher, no início da rua, um misterioso homem aparece entre a fumaça branca que sai de um bueiro.]

Veja o sol dessa manhã tão cinza: A tempestade que chega é da cor dos seus olhos castanhos
[A mulher esconde-se em um beco, o homem a persegue e a encontra de costas, agachada em uma parede. Close no olho do homem. O homem a toca no ombro.]

Então me abraça forte, e me diz mais uma vez
[A mulher vira repentinamente e o ataca na jugular.]

Que já estamos distantes de tudo: Temos nosso próprio tempo
[Corte seco para o homem, ainda vivo, deitado no colo da mulher que acaricia o cabelo da vítima e o balança como uma mãe faz para um bebê dormir. Detalhe: a boca da mulher e o pescoço do homem estão sujos de sangue.]

Não tenho medo do escuro, mas deixe as luzes acesas agora
[Corte. A mesma mulher andando entre anjos e os altos túmulos de um cemitério gótico. Apesar da noite, a mulher passeia como se estivesse no campo.]

O que foi escondido é o que se escondeu, e o que foi prometido, ninguém prometeu
[Entrando, cada vez mais fundo, no labirinto de túmulos, a mulher chega até um em especial. Empurra a tampa. Câmera subjetiva, como se alguém a observasse de dentro do túmulo sendo aberto.]

Nem foi tempo perdido; Somos tão jovens
[Corte para o conteúdo do túmulo: Rosas pretas. Não há cadáver.]

Tão jovens
[Uma mão masculina toca o ombro da mulher que se vira. É o homem. Ela sorri.]

Tão jovens
[Do alto, vemos os dois se abraçando como namorados que não se encontravam há tempos.]

(Continua somente os instrumentos)
[Andam, balançando as mãos dadas, pela rua do cemitério enquanto um travelling lento mostra a lua.]

---------------------------------------------------------------

Alguém interessado em ser meu sócio para gravar este fanclip?

---------------------------------------------------------------

quarta-feira, 10 de outubro de 2007

:: TOP5 (não definitivo) de viagens que quero fazer antes de morrer ::

1 - Pegar a Rota 66, em cima de uma Harley, depois de ter se chapado com os índios do deserto, e com Born To Be Wild tocando no talo ao fundo.
2 - Fazer uma "rota espiritual" pelo Tibet, e ir tomar alucinógenos com o Timothy Leary, para descobrir onde fica o céu de diamantes e marmelada que os Beatles conheceram nos anos 60.
3 - Ir no Jay and Silent Bob's Secret Stash, em Nova Jersey, bater um papo com o Kevin Smith.
4 - Pegar um ônibus em São Francisco, em uma noite chuvosa, usando jaqueta de couro e óculos escuros (a la Blues Brothers), e ficar recitando "San Francisco Nights", olhando para fora com os neons refletindo na janela.
5 - Tirar um som nos estúdios de Abbey Road.

-------------------------------------------------------

Post que veio lá do mundo do "Além da Imaginação". Como 93,7% dos posts deste blog.

quinta-feira, 4 de outubro de 2007

Crônica Crônica

Bateu o carro? O seu cachorro morreu? Sua namorada te trocou por um dançarino Russo? Sua vida está uma merda e você não sabe o que fazer?

Encha o saco de alguém. Reclame da vida para outra pessoa que não quer saber disso. Faça a noite de alguém uma droga por alguns minutos. Como?

Abre seu programa de comunicação instantânea preferido.

- Oi. (você diz)
- Oi. (a pessoa responde)
- Tudo bem? (você pergunta)
- Sim, e você? (é o que o outro diz. e você já jogou a isca neste momento)
- Não. (ele avistou a comida boiando na água)
- Pq? (hora de puxar COM FORÇA)
- Bati o carro. Meu cachorro morreu. Minha namorada te trocou por um dançarino Russo. Minha vida está uma merda. E eu não sei o que fazer. (isso foi um exemplo. pegue as piores coisas possíveis, e enrole ao máximo. quanto mais problemas melhor, o outro não vai conseguir escapar, e você vai se divertir com a isca cravada na bochecha do coitado)

Atenção crianças, não tentem isso em casa. Este texto foi apenas para aprendizado, enxer o saco dos outros quando você está irritado, não é coisa que se faça. Escute um som no escuro. Vá ao cinema. Fume um baseado. Vá beber com os amigos. Mas por favor, só venha falar comigo se eu for seu amigo. Meu único conselho para você que é surdo, cego, careta, toma remédio de tarja preta, ou não tem nenhum amigo, é o suicídio.

Sua vida não está uma merda? Acabe com ela, e seja feliz.

----------------------------------------------------------

Anos atrás fiz um texto com apologias ao suicídio. Evoluí hoje para este novo texto. Por constagem, acho que se matar não é nem perto a melhor solução para o problema que for, nem me importo de escutar os problemas do outros (principalmente de meus amigos).

Só estou tentando fazer alguma crônica decente de humor negro. Pena que não chego nem perto disso.

Para quem não gostou, pelo menos eu tentei. E você, já tentou escrever algo bacana hoje?

quarta-feira, 19 de setembro de 2007

Aye, Talk Like a Pirate Day!

Yo ho,yo ho,a pirate's life for me.
We pillage plunder,we rifle and loot.
Drink up me 'earties,yo ho.
We kidnap and ravage and don't give a hoot.
Drink up me 'earties, yo ho.
Yo ho,yo ho,a pirate's life for me.
We extort and pilfer,we filch and sack.
Drink up me 'earties,yo ho.
Maraud and embezzle and even highjack.
Drink up me 'earties,yo ho.
Yo ho,yo ho,a pirate's life for me.
We kindle and char and in flame and ignite.
Drink up me 'earties,yo ho.
We burn up the city,we're really a fright.
Drink up me 'earties,yo ho.
We're rascals and scoundrels,we're villians and knaves.
Drink up me 'earties,yo ho.
We're devils and black sheep,we're really bad eggs.
Drink up me 'earties,yo ho.

terça-feira, 18 de setembro de 2007

Saber pra quê?

Continuando a divulgação de coisas que encontro pela internet, e acho que todos deveriam conhecer, uma ótima divagação do blog Pergaminhos, Palimpsestos & Alfarrábios. Boa leitura!

---------------------------

Já faz alguns anos que não consigo esquecer desse professor que tive na pós-graduação. Meia-idade, consultor de empresas, sucesso na carreira acadêmica e profissional. Com dinheiro suficiente pra não fazer mais porra nenhuma da vida, mas dando aula por gosto (ou vaidade). Em uma de suas aulas de Planejamento Estratégico, do nada ele interrompe sua apresentação de powerpoint, metodicamente planejada para 50 minutos, e resolve desorganizar a aula toda. Desliga o projetor e senta na mesa para falar sobre o assunto “pra que serve estudar”.

Foi muito estranho. Foi como se ele tivesse encarnado alguma entidade.

Mas ele falou uma coisa importante. Depois de discorrer sobre toda sua formação, especializações, mestrados, doutorados e post-docs no exterior, ele disse algo assim: “Descobri que estudar, mas estudar muito mesmo, na verdade não serve pra muita coisa. Na melhor das hipóteses, serve pra mapear de forma mais precisa o tamanho de sua ignorância. Serve pra você saber o quanto você não sabe".

Forte isso. Forte e verdadeiro. Pra mim fez sentido.

Qualquer um que já buscou saber mais e mais sobre um assunto ou tema específico, eventualmente descobre que sabe cada vez menos sobre o referido tema, e que a busca é sempre infrutífera, pois saber todo o possível sobre um assunto é, na verdade, querer as chaves do universo. A busca do saber parece ser na verdade a busca pela ignorância; ao invés de aprender algo novo, você acaba descobrindo o quanto você NÃO sabe. O saber é o véu de Maya, é uma ilusão.

Suponho que qualquer um que já tenha sentido isso tenha um telencéfalo suficientemente desenvolvido pra perceber que a busca do saber não leva a porra nenhuma. Não se requer um alto grau de genialidade pra perceber que saber não traz alegria nem felicidade. Acredito que essa idéia é amplamente apoiada pela “sabedoria” popular, através de frases sínteses como:

“O que os olhos não vêem o coração não sente”
“A pensar morreu um burro” (genial)
“Mais vale burro vivo que sábio morto”
“Nem todas as verdades se dizem”
“O corno é sempre o último a saber”
Ignorance is bliss

Entre outras.

Então gostaria de deixar a pergunta que não quer calar:

Por que diabos malditos
filhos de uma cadela
gostamos tanto de ficar cutucando nossa ignorância
e descobrir o verdadeiro tamanho dela?

Rimou.

Atillah.

quinta-feira, 13 de setembro de 2007

O Senado é uma Vergonha Nacional

Post 110% copiado do blog novo-MUNDO, pois apóio a causa, mas tive preguiça e fazer algo novo:

Nosso senado perdeu toda a credibilidade que jamais teria
O país se torna uma porcaria
Alguém faça alguma coisa

(Haikai imbecil para expressar indignação)

VERGONHA NACIONAL

Uma lição de otimização para buscadores: se vários blogs lincarem para a página do senado usando o texto Vergonha Nacional, o primeiro resultado para a busca Vergonha Nacional, será a página do senado.

O Rodrigo Stulzer começou a coisa, eu apoio e peço apoio dos blogueiros.

quarta-feira, 12 de setembro de 2007

Ficar sem fazer nada? ONDE?

Quando alguém vem pedir pela milésima vez aqui em casa para eu ensinar como Copiar e Colar no computador, e eu fico puto, sempre reclamam com a mesma frase, "Não faz nada o dia inteiro, e ainda reclama".

Pois é. Vamos listar o meu nada na frente desta máquina:
200 blogs no GReader, 50 blogs sem RSS nos favoritos, sites de notícias, fóruns (F.A.R.R.A. e Jovem Nerd), umas 10 comunidades do Orkut que visito diariamente pois sempre apresentam coisas úteis, emails, Twitter, Hattrick, jogos, este blog, livros que baixo, filmes que baixo, séries que baixo, CDs que baixo, quadrinhos que baixo, conversas no MSN e GTalk (odeio papos inúteis nestes dois programas, se vierem falar comigo, tenham assunto por favor), trabalhos de faculdade, programação, trabalhos extras.

E se não fosse o caso de considerar coisas no PC, nos últimos anos tenho diminuído cada vez mais o uso dele. Sério, não aguento mais ficar horas na frente da tela. Então vamos o meu nada não virtual:
Livros, Filmes (Cinema, DVD e TV), Quadrinhos, Músicas, Séries, Programas de TV, Jogos, Videogames, Faculdade, Projeto de Empresa, Amigos, Namorada, atender aos pedidos das pessoas aqui de casa (ajudar no PC, secar a louça, arrumar o quarto, e por aí vai).

E em ambas categorias, devo ter esquecido muitas coisas.

E então, como assim EU NÃO FAÇO NADA O DIA INTEIRO?

segunda-feira, 3 de setembro de 2007

Joseph Campbell

"Dizem que o que procuramos é um sentido para vida. Não penso que seja assim. O que estamos procurando é uma experiência de estar vivos, de modo que nossas experiências de vida, no plano puramente físico, tenham ressonância no interior do nosso ser e da nossa realidade mais íntimos, de modo que realmente sintamos o enlevo de estar vivo..."

Joseph Campbell em entrevista ao jornalista norte-americano Bill Moyers, retirada do livro "O Poder do Mito".

Recomendado!

domingo, 2 de setembro de 2007

Of Wolf and Man - A Letter to Sirius

Antigo e eterno, venho de muito longe. Trago comigo a tristeza de estrelas apagadas, e a alegria de tê-las apagado. A honra de encerrar histórias fúteis, de apagar os erros humanos. Vã é a filosofia do homem, a luta para deixar de ser pó, e para não voltar ao pó. Eu conheço o tempo. Guardo seus segredos e os usei para moldar a história. Desde a destruição do Templo da Luz, até a derrubada do Shogunato. Das fórmulas alquímicas e tratados ocultos nos quadros renascentistas, ao segredo da fusão nuclear. Sou o manto negro, a adaga no coração do homem. A flecha que voa à noite, o lobo na porta da igreja. Meu sangue descende do Primeiro; o pálido azul da Lua e o vento frio da noite me pertencem por direito. Eu estou em vocês, e vocês não estão em mim; em breve, devo retomar minha parte. Tudo que planto, devoro.

Tyler Durden Quotes

"(..)Nada é estático. Tudo é movimento. E tudo esta desmoronando. Esta é sua vida. Melhor do que isso não pode ficar. Esta é sua vida. E ela acaba um minuto por vez. Você não é um ser bonito e admirável. Você é igual à decadência refletida em tudo. Todos fazendo parte da mesma podridão. Somos o único lixo que canta e dança no mundo. Você não é sua conta bancária. Nem as roupas que usa. Você não é o conteúdo de sua carteira. Você não é seu câncer de intestino. Você não é o carro que dirige. Você não é suas malditas calças. Você precisa desistir. Você precisa saber que vai morrer um dia. Antes disso você é um inútil. (..)A propaganda nos faz correr atrás de coisas, trabalhos que odiamos, para acabar comprando o que não precisamos".

É clichê citar o Tyler, mas o que eu posso fazer se ele é um dos personagens mais "citáveis" da cultura POP?

"Fomos criados pela televisão para acreditar que um dia seríamos ricos, estrelas de cinema e do rock. Mas não seremos. E estamos aos poucos aprendendo isso (..)"

Se ele fosse real, e visse milhões de blogs como este utilizando de suas palavras, para no final não dizer nada, ele... bem... ele não daria a mínima. Não sei nem o motivo que você está perdendo tempo lendo isso. Vá ver TV e ser como as pessoas normais. Deixe a filosofia para os burros. Para que pensar se tem diversos canais transmitindo alegria e excitação neste momento?

sábado, 1 de setembro de 2007

Ateísmo

O texto abaixo foi retirado do blog i MIDIA. Por sinal, foi o motivo que resolvi começar novamente este blog aqui. Eu estava navegando, achei este post do M. Marcolin por lá, queria divulgar por aí, já que penso exatamente como ele, mas não sabia qual seria a melhor forma. Quase que postei em meu fotolog, mas não achei imagem que combinasse com o texto, sem contar que as pessoas em sua grande maioria só olhariam para ela, deixando o que realmente importa de lado. Pensei em enviar por e-mail, mas daria muito trabalho, para grande parte das pessoas deletarem ele assim que vissem em suas caixas de entrada. Então resolvi postar aqui mesmo, assim lê quem quiser. Adoro a liberdade de escolha da internet, a pessoa pode tanto se instruir, quanto perder horas de seu dia no MSN. Maldita inclusão digital.


Bem, fiquem com o texto então, e não deixem de visitar o blog i MIDIA, tem muita coisa boa por lá. Recomendado.

----------------

Qual seria a melhor ocupação do homem? Um videogame? uma tv? o sexo? Desde a antiga Grécia o homem sabe o que é filosofia. E espanta os homens de hoje o fato de que a antiguidade chegou à um nível de organização fantástico, e foi berço dos três pensadores que deram ao mundo atual suas cores e rumos e defeitos: Sócrates, Platão e Aristóteles. Muitos sabem que chegaram à influenciar desde leis, passando pelas três maiores vertentes religiosas, até chegar aos pensadores mais audaciosos da era conteporânea. O que poucos sabem é diferir o que é manipulativo daquilo que é aproveitável, deixando de lado o termo "verdade absoluta".

É inaceitável que nos dias atuais a igreja, após tantos massacres que a história nos relata, após tantos escândalos que envolvem até pedofilia, ainda seja vista como predecessora de todo bem. E subportadora do destino de todo homem. Eu não me prosto perante qualquer obra que tente definir minha existência como algo pueril e subversivo. Apenas acredito em mim e em semelhantes que trataram a vida da mesma maneira, deixando documentos de suas experiencias e pensamentos. Acredito em uma causa primeira, em um primeiro impulso que a lei da inércia diz provar. Não sou ateu, prefiro o termo agnóstico; não sou pessimista, mas previnido.

"Assim como certas religiões chamam de ateus os homens que não acreditam num Deus pessoal além de si mesmos, dizemos que é ateu aquele que não acredita em si mesmo. Não acreditar no esplendor da própria alma: isto é o que chamamos de ateísmo."
Swami Vivekananda

"Don't look at me as if I didn't know
Your vanity is all you ever show
What you believe and advocate
Fanatic dogma recycled from yesterday"
Kreator

Texto por: M. MarcoliN

Agora vai!

Uma nova tentativa de pertencer ao mundo dos blogs. Desta vez começo confiante, notaram o título do post?

YAY! =D